Ator e Escritor Anselmo Vasconcelos

Mais que talento artístico, um ator precisa ter poder de sedução.   Capacidade de entreter e emocionar.   Um artista não precisa saber tudo.

Mas o bom artista usa tudo que sabe.

Para tanto, é preciso ser Anselmo Vasconcelos.

Perfil: Estreia profissionalmente em 1975, na histórica montagem do Grupo Opinião, O ÚLTIMO CARRO, de João das Neves.   Por este trabalho, recebeu convites para o cinema e filmou: TUDO BEM, com Arnaldo Jabor; SE SEGURA, MALANDRO, com Hugo Carvana; FIM DE FESTA, com Paulo Porto; O AMIGO DO SUPER HOMEM, com Denoy de Oliveira e ELES NÃO USAM BLACK-TIE, com Leon Hirszman.

Em seguida foi convidado por Paulo José para o elenco da série CIRANDA CIRANDINHA, da Rede Globo.

Durante sua carreira participou de mais de 30 longas-metragens.   Atuou em novelas, minisséries, especiais e humorísticas em todas as grandes emissoras de televisão.

Premiado como ator e roteirista em cinema e como diretor em teatro.  Foi eleito diretor da Escola de Teatro Martins Penna, e integra o corpo docente da Escola desde 1988.

Fundou a Casa de Ensaio, centro cultural que lançou uma nova geração de artistas no início dos anos 1990. É um dos fundadores do Centro Experimental Teatro Escola (Cete), onde trabalha em pesquisas e práticas, desde 1993.

É autor de diversos textos teatrais utilizados pelo Cete em suas encenações. Escreveu o premiado roteiro cinematográfico UM TÁXI PARA VIENA D’ÁUSTRIA, adaptação do romance de Antônio Torres.

Em 1996, foi selecionado para o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade (Iphan), em reconhecimento à sua importância para a preservação do patrimônio cultural brasileiro.

Em parceria com Marco Antônio Shiavon escreveu os roteiros: AO FIM DO LONGO INVERNO, inspirado na peça teatral homônima de Fabio Fernandes e o argumento original CARA DE CAVALO.

Idealizou uma série de telefilmes intitulada RIONOIR, em fase de elaboração, com colaboradores como: Cininha de Paula, Marco Antônio Shiavon, Alexandre Monteiro e Ricardo Porto.

Escreveu o argumento para a teleplay: ÚLTIMO PÁREO e por ele recebeu o prêmio MinC de Produção para Teleplays.  Filmou o roteiro escrito por Gilberto Loureiro e dirigido por Emiliano Ribeiro.

Com o Cete foi um dos vencedores do Concurso da Prefeitura do Rio de Janeiro – FATE com o Projeto de Montagem de RICARDO III, de William Shakespeare, protagonizado por ele.

Integra o elenco fixo do programa ZORRA TORAL, da Rede Globo, nos últimos anos…

CINEMA: SEUS FILMES

2014 – A Noite da Virada

2013 – Casa da Mãe Joana 2

2011 – O Carteiro

– Réquiem para Laura Martin

2010 – Chico Xavier

2009 – Tempos de Paz

2007 – Primo Basílio

2006 – Brasília 18%

2003 – Apolônio Brasil, Campeão da Alegria.

2001 – Condenado à Liberdade

2000 – O Dia da Caça

1997 – O Homem Nu

1996 – Quem Matou Pixote?

1995 – Filhas de Iemanjá

– Sombras de Julho

1994 – Boca

1991 – A Maldição do Sanpaku

1990 – A Rota do Brilho

1985 – Tropclip

– Urubus e Papagaios

– Chico Rei

1983 – O Segredo da Múmia

– Bar Esperança

1981 – Eles Não Usam Black-Tie

– O Torturador

1980 – Consórcio de Intrigas

– Perdoa-me Por Me Traíres

1979 – Amante Latino

– República dos Assassinos

– Terror e Êxtase

– Eu Matei Lúcio Flávio

– O Bom Burguês

1978 – O Escolhido de Iemanjá

– J.J.J., o Amigo do Super-Homem.

– Fim de Festa

– Tudo Bem

– Se Segura, Malandro!

 

LITERATURA: SEUS LIVROS

A Comédia – A Arte da Irreverência / Em parceria com Raquel Villela

A Volta ao Mundo – Uma Pista para o Futuro – O Mandala, que ilustra a capa foi magnificamente criado pelo maior representante da Arquitetura no Brasil, o incomparável Oscar Niemeyer.

 

Mia – A holandesa de pés descalços

Por Lunna Guedes: Anselmo é autor-ator e tem essa relação muito íntima com a década de sessenta, a ditadura brasileira, o teatro, o cinema e seus muitos personagens: uma verdadeira caixa cênica de emoções. Desenvolver o projeto do livro foi vislumbrar um ‘abrir de cortinas’… Um livro dividido em atos, entrecortados por falas, cenas, trechos de si mesmo.

Um trecho… Anselmo Vasconcellos em Mia

Acordo, e minha primeira visão é o amarelejo dos cabelos fartos que cobrem o rosto e a idade dela. Em suas costas um belo Mehndi de Henna — tatoo relacionada à natureza cíclica e passageira da vida. Arte efêmera indiana de propriedades medicinais.

A vontade de escrever me faz levantar e começar o dia. Sem despertá-la — cuidadosamente — saio da cama. Abro a porta de uma pequena varanda que descortina a paisagem da mata. Música de águas em corredeiras, sons de aves à distância. O cheiro de terra molhada é minha alimentação”. (…).

— Scenarium livros artesanais — 2016

https://drive.google.com/file/d/0BxIHbxzuYwnrV2VOaVE1cDBfaUx5ZEpKODBsSHNrYXlEWk9R/view?usp=sharing

 

TEATRO: SUAS PEÇAS

Anselmo Vasconcelos – Professor da Escola de Teatro Martins Pena.

Em 2015 – 50 Tons de Loucura – peça

O Teatro Municipal de Niterói abriu suas portas para o espetáculo 50 TONS DE LOUCURA, nos dias 23, 24 e 25 de outubro de 2015, sexta e sábado, às 20h, e domingo, às 19h.  Trazendo para o público, um diálogo sobre as loucuras da vida cotidiana a dois, numa divertida história de um casal que foi passar a lua de mel no Marrocos.   Os ingressos custaram R$ 60 reais.

Com texto de Antônio Dias e composições musicais de Márcio Lomiranda, a peça traz em pequenos esquetes vários “tons de maluquice” da vida de um casal.   Utilizando-se dos diálogos e das músicas, para frisar a graça e o absurdo de vidas escravizadas, na busca por um modo ideal de se viver bem.   No palco, os atores Laura Proença e Anselmo Vasconcelos brincam com o que surge no mundo e que, na visão deles, enlouquece as pessoas.

Brincam com o fato de descobrirem, até que não sabem fazer sexo.   Não sabem andar – precisam consultar um personal postura.   Não sabem se vestir e acabam concluindo que o casamento – a escolha do cônjuge – e a profissão são alguns dos vilões que provocam a maluquice em que vivemos hoje.

São retratadas figuras como:   especialista do sono – que ensina como dormir; personalstylist – que ensina a se vestir; além da loucura que se tornou o celular na vida das pessoas.   O estresse, a virose, as pesquisas.   Tudo é retratado no show, que se vale também de coreografias, que dão um toque de descontração ao stand-up.

Dramático, lírico, cômico, irreverente e poético.   Nesse espetáculo regido pelo improviso, o público irá se surpreender em todos os momentos.

 

TELEVISÃO: SUAS NOVELAS E PROGRAMAS

  • 2015 – Zorra Total – Vários [3]
  • 2011 – Zorra Total – Pedro
  •         – Chico Xavier – Perácio
  • 2009 a 2011 – Zorra Toral – Pedro
  • 2008 – Zorra Total – Dionísio / Batente / Van Bof / Lourival / Glaucio
  • 2001 a 2007 – Zorra Total – Dionísio / Patrão / Vampirão / Torcedor do time                                  Argentino / Amigo do Epitáfio
  • 2000 – Esplendor – Rajão
  • 1998 – Pecado Capital – Jomar
  •         – Hilda Furacão – Jabuti
  •         – Corpo Dourado – Naldo
  •         – Brida – Henrique
  • 1997 – Sai de Baixo – Bartolomeu
  •         – Mandacaru – Coronel Fenelon
  •         – A Justiceira – Paco
  • 1996 – Caça Talentos – Tony Dark
  •         – A Vida Como Ela É…
  • 1995 – Engraçadinha… Seus Amores e Seus Pecados
  • 1994 – A Viagem – O Estranho
  • 1993 a 1999 – Você Decide
  • 1992 a 1993 – Incrível, Fantástico, Extraordinário
  • 1991 – Salomé – Capivara
  •         – Amazônia – Ezequiel
  • 1990 – Araponga – Bitola
  • 1987 a 1990 – Bronco (Band)
  • 1986 – Anos Dourados – Capitão Serpa
  • 1985 – Um Sonho a Mais – Edgar
  • 1984 – Humor Livre
  • 1983 – Eu Prometo – Jair
  • 1982 – Sítio do Pica-Pau Amarelo – Serapião
  • 1981 – Obrigado Doutor
  •         – Brilhante – Tavares
  • 1980 – O Bem Amado – Boca de Tramela
  •         – Ciranda Cirandinha
  • 1979 – Plantão de Polícia
  • 1978 – Ciranda Cirandinha – Tavito